• Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo - 117 Anos

Estudo p/ Pequenos Grupos

SALVADOR JESUS
(LUcAS 2.10,11)

 

Imaginemos o cenário e a liturgia do primeiro Natal: como chão, as campinas da Judeia; como teto, a abóbada celeste; como luminosidade, a glória de Deus; como mensageiro, um anjo do Senhor; como grupo celebrante, uma milícia celestial; como comunidade de ouvintes e adoradores, uma congregação de humildes pastores!

 

Qual foi o conteúdo da pregação proclamada pelo mensageiro celestial naquela noite memorável? Aqui está o seu teor: “Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo o Senhor” (Lucas 2.10,11).

 

Percebemos que a mensagem do anjo celeste tinha como propósitos: a) tranquilizar os corações atemorizados; b) comunicar a mais sublime notícia de todos os tempos; c) dizer quem era o recém-nascido de Belém – sua implícita missão salvadora (Salvador), sua singular identidade como o Ungido de Deus anunciado pelos profetas (Cristo) e sua inseparável divindade (Senhor). Consideremos a missão salvadora de Jesus, seu fundamento e sua extensão:

 

1) A missão salvadora de Jesus está contida no seu próprio nome – O nome “Jesus” é a versão grega do nome hebraico “Josué = Joshua”, que significa “Javé é salvação”, ou “Javé salva”. Esse significatico nome foi definido por outro anjo: “[...] porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mt 1.21). Esse elemento central da identidade de Jesus foi: a) declarado por Zacarias (Mt 1.19); b) reconhecido por Simeão (Mt 2.30-32); c) anunciado por João Batista (Jo 1.29); d) afirmado pelo próprio Cristo (Jo 10.10); e) ensinado pelos apóstolos (At 13.23); f) proclamado nas visões maravilhosas do Apocalipse (Ap 5.9,10).

 

2) A salvação propiciada por Jesus é exclusiva, suficiente e eficiente – O apóstolo Pedro foi muito claro e preciso: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12). De fato, Jesus tem poder para salvar todos os que crêem nEle como único meio de salvação. Como somente os eleitos crêem, a salvação propiciada por Jesus é suficiente e eficiente para estes. Leiamos os textos de João 6.37 e Hebreus 5.9 e 7.25.

 

Que este Natal seja celebrado com gratidão a Deus, pela dádiva do nascimento de Jesus, o Salvador, em nome de quem podemos comunicar as boas-novas do evangelho – “poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16).

 

Presb. Marcel Mendes